Web Summit: uma análise mais detalhada do controle de seus dados

A palestra foi conduzida por Brittany Kaiser, fundadora da Own Your Data Foundation e da campanha #OwnYourData, promovendo direitos de dados e treinamento de alfabetização digital.


Por Bruno Zenatte



A palestra foi conduzida por Brittany Kaiser, fundadora da Own Your Data Foundation e da campanha #OwnYourData, promovendo direitos de dados e treinamento de alfabetização digital. Ela foi tema do documentário premiado da Netflix, The Great Hack e uma das delatoras do escândalo Cambridge Analytica durante as eleições americanas, em 2016. Ela também é autora do livro best-seller Targeted.

Durante sua apresentação, Brittany defendeu a importância de apoiar líderes e pessoas que apoiam e levantam a bandeira da proteção de dados, isso porque milhões de base de dados processam nossas informações todos os dias.

Destacou que é importante a criação de leis e que muitas delas favorecem a exclusão de seus dados ou que evitem a publicidade indesejada. Além disso, reforçou sobre como é relevante a elaboração e a prática de políticas de tratamento de dados.

Com relação aos governos, que também processam milhões de dados, listou três grandes diferenças importantes: como é a regulação de Big techs e companhias que fazem o correto para ajudar a sociedade; entender como eles tratam seus dados e saber como isso ocorre; além de regulamentações para proteção de seus próprios dados, pois como seres individuais, precisamos entender as leis e nossos direitos e fazer valer o controle de nossos próprios dados.

Outro ponto abordado foi com relação à transparência das organizações com quem compartilhamos os dados. Ela explicou que não adianta concordar com todos os termos e condições de uso dos nossos dados e depois querer reclamar. Pois também somos responsáveis por fornecer e concordar com tais condições.

Ela explicou que muitas vezes assinamos contratos digitais e não sabemos o que está escrito. Ou seja, todos os sites que coletam nossos dados pedem permissão para que todos possam utilizar do serviço ou acessos à informações, por exemplo. Porém, o contraponto está em contratos longos e que não são lidos, e acabamos compartilhando nossos dados sem saber. E geralmente não lemos todos os termos e condições de sites e aplicativos no dia a dia.

Por fim, ela reforçou que sites e aplicativos deveriam fazer de forma mais simples, no caso, a leitura dos termos. Isso é importante para que todos possam ter ciência do que é assinado. Tudo isso para termos a consciência e praticidade ao mesmo tempo, com um clique. Mas sabendo o que estamos fazendo.