Web Summit: deixando o produto falar por si

O assunto foi conduzido por James Gross, cofundador e CEO da Variance; e Rhett Power, autor de best-sellers, colunista da Forbes e cofundador da Courageuos.


Por Bruno Zenatte



Neste tema, foi apresentada a importância de qualificar o cliente, entender o ambiente de venda e usar a força das vendas para validar o consumidor. O assunto foi conduzido por James Gross, cofundador e CEO da Variance; e Rhett Power, autor de best-sellers, colunista da Forbes e cofundador da Courageuos.

O debate também explorou as vivências e desafios enfrentados ao abrir uma empresa há 10 anos, que é bem diferente do que começar em 2021. A justificativa é de que hoje é possível obter financiamentos, investidores e há mais dinheiro disponível. No passado, os investimentos sairiam de recursos próprios. É igualmente difícil criar a empresa, mas os recursos disponíveis hoje são outros, tanto de tecnologia, captação de clientes e dinheiro.

O tema também reforçou que criar uma estratégia concisa de “go to Market” garante a evolução do produto.

Além disso, ter informações geram ótimas estratégias, criam bons colaboradores. Resumindo, James e Rhett pontuaram que quanto mais informações se têm para construir um produto, mais o produto pode falar por si só. Ou seja, os dados nos fazem entender melhor o consumidor, e ser assertivos nas possibilidades.

Por fim, foi destacado que o produto é o centro das atenções e, além de falar por si mesmo, as pessoas tem que querer e desejar. A dica é ir aonde estão os negócios e as pessoas, entender o que eles fazem e, com isso, como apresentar o seu produto.

Para complementar, o tema também abordou soluções industriais, as soluções de marketing e sobre como chegar mais rápido ao mercado, além do aumento da eficiência e da eficácia.