Web Summit: construindo uma empresa de bilhões de dólares

Nesta palestra, ouvimos os fundadores de três das startups mais quentes do mundo: Rappi, Bolt e LaunchDarkly. Eles contaram suas histórias de construção de negócios de bilhões de dólares contra todas as probabilidades.


Por Bruno Zenatte



Nesta palestra, ouvimos os fundadores de três das startups mais quentes do mundo: Rappi, Bolt e LaunchDarkly. Eles contaram suas histórias de construção de negócios de bilhões de dólares contra todas as probabilidades.

Marcus Villig, da Bolt, contou que eles cresceram pois ouviram os seus consumidores. E destacou que todas as chances que eles têm de ouvi-los é uma oportunidade de melhorar os serviços. E isso é um sinal de que a empresa está em crescimento.

Ele explicou que é necessário fazer o que os usuários esperam do serviço, são melhorias que fazem a Bolt crescer enquanto empresa.

Eles contextualizaram a indústria dos veículos, que está quebrada, mas por outro lado vemos esse segmento crescer a cada ano, e a indústria continua a lucrar muito. Para a Bolt, houve uma mudança e eles estão usando um modelo híbrido, que começou a ser fabricado na pandemia. Ele explica que a solução começou com os seus funcionários utilizando o carro por alguns dias por semana nas empresas e que isso ajudou a crescer.

Outra experiência compartilhada veio da Rappi, com o Juan Pablo Ortega. Ele explicou que para ter sucesso é necessário ajustar o seu produto ao longo do tempo e, com isso, buscar entender o movimento do mercado.

Destacou que, para ter sucesso, as interações que você pratica são fundamentais. Saber o que seu usuário quer e o que ele espera de sua empresa. Ele contextualizou o cenário que a Rappi tem com relação à competição de empresas nas contrações, pois muitas empresas, inclusive, estão oferecendo bons salários e, por isso, é um ponto importante quando falamos de crescimento em escala. Isso porque pessoas são necessárias para esse escalonamento. Então oferecemos coisas que as pessoas buscam, com o objetivo de atraí-las.

Por fim, Juan Pablo conta que o que fez a empresa crescer não pode mudar. Viramos unicórnio e superamos essa marca. E reforça: os consumidores, nunca se esqueçam dos consumidores. Eles é que fazem a empresa escalar e crescer. Só eles. Nada mais.