Porque aeroportos estão se tornando centros comerciais com oportunidades de negócios

Entenda como o cruzamento de dados auxilia na tomada de decisões estratégicas e inteligentes


Engana-se quem pensa que aeroporto é lugar apenas para passageiros. O que antes era um espaço de chegada e partida de viajantes, tornou-se um verdadeiro centro comercial, com uma gama de negócios e oportunidades também para o não-passageiro. Os aeroportos estão preparados para receberem, todos os dias, um grande fluxo de pessoas, com características que atraem diversas modalidades de serviços e, claro, ótimas oportunidades para traduzir este fluxo adicional de visitantes em rentabilidade.

Mas você sabe quais serviços estão sendo incorporados pelos aeroportos? Como o não-passageiro pode valer-se desse espaço para utilizar tais serviços? É possível que os aeroportos englobem empresas de delivery para diversificar ainda mais o rol de atuação? Essas e outras perguntas serão respondidas neste material especial preparado pela Napp Solutions.


Serviços para não-passageiros

Quando se pensa em serviços ao cidadão, logo vem à mente a emissão de documentos. E por que não ter um local a mais para se buscar essas importantes modalidades de serviços públicos? Pois bem, os aeroportos estão cada vez mais organizados para disponibilizar a emissão de passaportes (quer lugar mais pertinente para isso!), RGs, CNHs, licenciamento de veículos, etc.

Mas as oportunidades não param por aí. Outros serviços privados realizados em cartórios, consultórios, clínicas, laboratórios, entre outros, já estão “desembarcando” nos aeroportos. Facilidades que abrem um leque enorme para a transformação dos aeroportos em centros de negócios.


Serviços de delivery

Uma modalidade que já era imprescindível e que teve atuação bastante ampliada com a pandemia. Os serviços de delivery, presentes no dia a dia de muitos (muitos mesmo!) brasileiros, estão ganhando um espaço físico a mais para se instalarem. Sem falar que, com a implementação de novos serviços de delivery, as lojas presentes nos aeroportos – e as que vierem a se instalar – podem vender tanto para passageiros quanto para os clientes que estão em casa. Mais oportunidade de negócios e, consequentemente, renda para os lojistas.


Vantagens para todos

Inúmeros são os benefícios, tanto para o usuário, quanto para os empreendimentos e aeroportos. Para o cliente: estacionamento bem estruturado, variedade de lojas e restaurantes, segurança reforçada, acesso facilitado por boas rodovias, amplas áreas de circulação, etc. Para os empreendedores: horário de funcionamento estendido (24 horas por dia, sete dias por semana), novamente a segurança, infraestrutura de ponta, cliente qualificado e com poder de compra, etc. E, para os aeroportos: ampliação dos serviços, diversificação do público consumidor, aumento de receita, etc.

Vantagens que, combinadas, colocam o aeroporto em posição privilegiada em relação aos shoppings centers, centros comerciais, galerias e espaços urbanos que, tradicionalmente, oferecem os serviços citados no tópico anterior.


Dados reforçam benefícios

Como visto, são muitas as vantagens para usuários, lojistas e aeroportos. E as estatísticas ressaltam ainda mais tais benefícios. O estudo “O valor do transporte aéreo no Brasil: desafios e oportunidades para o futuro”, realizado pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), mostra que o mercado de aviação brasileiro tem potencial para crescer quase cinco vezes em 20 anos.

Segundo os números da associação, os serviços relacionados aos aeroportos geram 167 mil empregos diretos e outros 372 mil de forma indireta. Já os turistas ajudam a manter outros 300 mil empregos e contribuem com cerca de 6,5 bilhões de dólares no PIB nacional.

Dados da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil – destaca que o relacionamento entre consumidor e empresas áreas melhorou em todos os setores no 2º trimestre de 2021. O índice de reclamações teve queda de quase 75%, enquanto o índice de solução das reclamações, medido pelos próprios consumidores, foi de 81,2%. Já o índice de satisfação, calculado por meio de notas dos passageiros (1 a 5) teve alta de 32,8%.


Napp tem a tecnologia para a integração das lojas

A transformação dos aeroportos em centros comerciais é uma realidade. Mas para fazer tudo isso acontecer, é necessária a expertise de uma empresa do quilate da Napp Solutions. A startup tem a tecnologia perfeita para a integração e transformação digital de lojas e aeroportos.

A ferramenta Esphera faz a coleta automática de vendas, trazendo inteligência e insights para os responsáveis dos aeroportos explorarem todo potencial desse centro comercial em ascensão. Por meio do Esphera, a Napp Solutions cruza os dados de vendas com os horários em que elas ocorrem e os tickets médios, promovendo uma verdadeira revolução tecnológica.

“Os dados podem ser cruzados com os voos (destino/chegada) e assim é possível saber o quanto as vendas oscilam (para cima ou para baixo) nesses momentos. Eles também podem ser cruzados com a localização para saber qual oferta de segmento há, por exemplo, quando os voos atrasados resultam em uma permanência maior dos passageiros”, explica Com Junia Campos, Head do Esphera.

As possibilidades de relatórios e cruzamentos são infinitas. “É possível, dessa forma, o aeroporto alterar locatários de pontos, por exemplo, para melhor a performance e adicionar ou retirar segmentos e categorias, melhorando também a performance em geral. Resumindo, a tecnologia da Napp permite a tomada de decisões cada vez mais assertivas e estratégicas”, finaliza Junia.


Mas não são apenas os aeroportos que podem usufruir da expertise da Napp para promover a transformação digital. Clique neste link e veja como a tecnologia é aliada dos negócios que querem crescer no ambiente virtual.